29 de novembro de 2012

Meu Adeus ao Olímpico Monumental.


Esse vídeo, criado pelo Ian Ruschel, é uma das melhores homenagens ao Olímpico Monumental, quiçá a melhor até o momento rodando pelo Youtube:

Nós, gremistas, nunca esqueceremos o Olímpico. Sentiremos muito sua falta, mas pelo menos será para o nosso próprio crescimento. Não irei escrever tudo o que sinto, até porque eu não tive experiência suficiente de uma vida inteira para contar por aqui. Assim, sugiro que leiam este texto do Impedimento (@impedimento) do começo ao fim (por sinal, um obrigado especial para o Lucas Von (@lucasvon), que me ajudou a resgatar este texto, pois eu havia perdido o link!), e sintam o que todos nós estamos sentindo desde o inicio desta semana. Ah, e este aqui também, do Michel Laub.

Este texto do Lucas Von também aumentou em 300% minha coragem de conhecer o estádio antes de simplesmente nunca conhecê-lo. Não me arrependo disso e nunca me arrependerei: foi a viagem mais incrível e, definitivamente, inesquecível de toda a minha vida até hoje. Fui bem tratado em todos os lugares. Assisti um jogo do Grêmio, no estádio do Grêmio (coisa que obviamente não posso fazer no Rio de Janeiro), e o melhor: vencemos o Fluminense por 1x0, nos tornando o único time a vencer o Fluminense no primeiro turno (e por sinal, não perdemos contra o campeão nem no returno). Interpreto essa vitória como um agradecimento do Olímpico por eu ter ido visitá-lo, e agradeço a ele por toda a felicidade que me proporcionou em tão pouco tempo que estive por lá.

Quero que o Grêmio seja sempre assim: UNIDO POR IDEAIS. UNIDO POR TROFÉUS!

Este domingo é vencer ou vencer. Questão não apenas de honra perante o Internacional, mas também por ser o último jogo por lá. Para os torcedores que comparecerão, não será apenas um jogo. Não será apenas um GRE-nal. Será o último jogo de uma era. Vencer, além de ser fundamental, será um divisor de águas, e não obstante, um dos melhores métodos de lavar a alma de todos os torcedores gremistas pelo Brasil. Assim como 99% dos torcedores DE VERDADE, eu já sei que irei chorar durante a partida. Perdendo, ganhando, não importa. Só chorarei, bem longe do estádio, mas como se estivesse ali, auxiliando nos seus últimos batimentos de vida.

Adeus, Olímpico. Bem vinda, Arena!


Aliás, gostaria de agradecer a todos os jogadores que fizeram parte desta era. A todos os bblogueiros, a todos os gremistas que comentaram qualquer coisa pertinente nos últimos meses (como os que redigiram os ótimos textos spracitados). Além de todos vocês, um abraço especial para o Ducker (@Ducker_Gremio), que não só é um dos fotógrafos mais importantes para armazenar as histórias do tricolor, como me ajudou também na confecção do meu quarto (em 2013 vocês verão, aguardem!).


27 de novembro de 2012

Hover! Já jogou?


Quando eu era apenas uma criança simples, que não sabia nada sobre o que é viver além de ficar brincando o dia todo e reclamando de ir dormir, joguei um joguinho supimpa.

HOVER!

Já ouviu falar? Não? Então você provavelmente nunca usou Windows 95, ou não tinha o disco de instalação. Pois é, eu tinha o CD do Windows 95 (e me arrependo amargamente de ter perdido com toda a minha coleção da Revista do CD-ROM) e nele havia uma pasta perdida ao longo dos diretórios contendo um jogo com este nome: Hover! É, com essa exclamação no fim mesmo!


Hover! era apenas um pique bandeirinha com naves espaciais. Sério, só isso. Você jogava com uma nave vermelha / azul e disputava com outra nave da cor restante. Cada uma tinha como objetivo resgatar as bandeiras da sua respectiva cor antes da nave adversária. Não havia nenhum tipo de disputa direta, com armas ou coisas do tipo, mas existiam algums power-ups e alguns power-downs.


A movimentação era óbvia: direcionais. Além disso, só tinham mais 3 botões: A, S e D, que eram usados para ativar os três especiais (no canto inferior esquerdo): mola, muro e invisibilidade. A mola ajudava bastante, pois com ela era possível pegar bandeiras em outros níveis, já que a nave só se movimentava em um nível. Já o muro e e a invisibilidade eram completamente sem sentido: o muro deveria servir para impedir a passagem do adversário, mas é só dar a volta, enquanto a invisibilidade deveria fazer ele não te enxergar, mas como o adversário sempre era a CPU (não havia multiplayer), era meio inútil ter uma habilidade como esta.


Além das três habilidades, que eram acumuladas pegando durante a fase, existiam outros power-ups e power-downs espalhados em pequenas orbs e em quadrados espalhados no chão. Alguns aumentavam sua velocidade temporariamente, outros diminuiam, além de ter "lamas" que prendiam a nave no chão e setas que faziam você ganhar velocidade naquela direção (se você estiver contra ela, a nave gira 180º e vai com tudo pro lado oposto!), entre outros menos chamativo.


Também só existiam três fases, que são essas que vocês viram aí em cima, e eu nem sei como descrevê-las: uma paisagem medieval, um futuro tão não futurista e um canto qualquer do mundo que se parece com um esgoto radioativo. As fases poderiam ser selecionadas na ordem que você preferisse, podendo iniciar na última. Quanto mais avançada, mais bandeiras para resgatar. Toma um aperitivo:


O jogo era simples, mas eu joguei DEMAIS. Talvez porque ele era "3D" e havia poucos jogos com tamanha qualidade visual, ou talvez por causa da diversão em ficar batendo com a nave na parede e rebatendo de volta. Ou talvez porque a música era repetitiva (mesmo, só tinha uma) e eu ficava escutando como um mantra. Ou talvez porque se parece com as fases de Doom. Por sinal, um ser humano muito sagaz fez um review também, e vale a pena dar uma olhada (é em inglês, mas pelo menos dá pra ver como é o jogo com mais profundidade do que o vídeo anterior, e ainda faz essa comparação do Doom também):


E aí, curtiu? Se sim, tenho uma notícia interessante para ti: a Microsoft possui um ftp com o download de Hover! até hoje, para os mais saudosistas. Se você quiser testar, o jogo é plenamente funcional no Windows 7 (não me perguntem quanto ao Windows 8)! É só clicar neste link para ser feliz, e possui apenas 7mb!

Até a próxima! :)

25 de novembro de 2012

Blablabla.


Muito tempo sem falar algo útil, apenas botando gifs de gatinhos e vídeos engraçados. É, eu sei como o blog está se parecendo: um blog qualquer. Nada de exclusivo, nada de diferente ou inovador. Meu tempo anda apertado, e minha inspiração anda de mal a pior, não consigo escrever nada de [in]útil por aqui há um bom tempo. Projetos não faltam: 2013 vem aí e teremos pelo menos UMA grande novidade programada há algum tempo, então aguardem!

Por enquanto, fiquem com isso e sejam felizes. Abraços e beijundas!


Até a próxima :)

24 de novembro de 2012

Mulheres + Peitos = Hipnose Masculina.


Agora vocês entenderam porque TODOS olham se você possui tamanho respeito?
  

19 de novembro de 2012

The Big Bang Theory Flash Mob!


Essa foi MÍTICA:
Atenção pro ator que interpreta o Howard: nem na vida real ele consegue dançar direito, huehuehue!

18 de novembro de 2012

Carcará no treino do Grêmio!


E o carcará resolveu dar o ar da graça durante o treino do Grêmio ontem, lá em São Paulo!




Será essa uma indicação de sorte? Saberemos às 19:30! Dá-lhe tricolor!

(Agradecimentos imensuráveis ao Bruno Junqueira | TXT Assessoria, que disponibilizou as fotos para mim. Realizei apenas uns crops básicos, para ficar mais centralizado no assunto, mas não modifiquei absolutamente nada. Muito³ Obrigado!)

16 de novembro de 2012

Boliche + Iniciante = Desastre


Tenho CERTEZA de que você conhece alguém que joga assim! Comenta aí! :)

11 de novembro de 2012

Momento "oin" do dia



5 de novembro de 2012

Comerciais sagazes, a gente vê por aqui.


Vish mano, perdeu a namorada :/ huehuehue!

2 de novembro de 2012

Sexta feira, YEAH!!!



LOOK AT MY HORSE! 
HAHAHAHAHAHAHA!

Créditos: valeu Alan! Huehuehuehue!